quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Revolução da Alma

Tenho que admitir que sempre gostei deste senhor por alguma razão...eis uma...bem extensa e com pano para mangas, camisolas...bem acho que um guarda roupa completo...ora vejam...Aristóteles, filósofo grego, escreveu este texto “Revolução da Alma” no ano 360 A.C. ... E dizem-me ser eterno:

"Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue sua alegria, sua paz sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém. Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja. A razão da sua vida é você mesmo. A tua paz interior é a tua meta de vida. Quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remete teu pensamento para os teus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe em você. Pare de colocar sua felicidade cada dia mais distante de você. Não coloque o objetivo longe demais de suas mãos: abrace os que estão ao seu alcance hoje. Se andas desesperado por problemas financeiros, amorosos, ou de relacionamentos familiares, busca em teu interior a resposta para acalmar-te, você é reflexo do que pensas diariamente. Pare de pensar mal de você mesmo(a), e seja seu melhor amigo(a) sempre. Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar. Então abra um sorriso para aprovar o mundo que te quer oferecer o melhor. Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de você, e você estará afirmando para você mesmo que está "pronto“ para ser feliz. Trabalhe, trabalhe muito a seu favor. Pare de esperar a felicidade sem esforços. Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda. Critique menos, trabalhe mais. E não se esqueça nunca de agradecer. Agradeça tudo que está em sua vida nesse momento (...) Nossa compreensão do universo ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida. A grandeza (da vida)não consiste em receber honras, mas em merecê-las."

O que acham da eternidade obtida desta forma? Numa má tradução que raia o português e o brasileiro? Acham que se sentiria feliz o nobre filósofo em ver os seus textos espalhados e descontextualizados na net?

Sinceramente não sei...mas reza que era um defensor do mérito e da "praxis" para quem a palavra apenas valia se acompanhada da correspondente acção...pelo que tenho duvidas que apresentasse um discurso tão complexo e extenso...com tantas "dicas"...acho que, nos dias que correm nos diria algo mais prático e directo como:

"Parem de lamentar-se e, se querem ser felizes, metam mãos à obra seus maricas!"...

E se pensarmos como seria a vida naqueles tempos...acho que lhe vamos dar razão...e se repararem...acho que a isso se pode resumir o exposto texto...

E assim decido acabar as minhas férias de verão...que tal foram as vossas?